Images de page
PDF
ePub

Preto:

2 Bules, 19 Xicaras, hum aparelho cor de café Manchado, 2 Bules iguais no tamanho, 2 mais abaixo, 2 Cafeteyras, 3 Jarros para Leyte, 2 Assucareyros, 2 Frascos para xá, 2 Tigelas de lavar, 19 Xicaras deziguaes, 15 Pires.

Mecelania:

16 Bules Brancos, lizos e iguais, 5 Dittos com tampas lavradas, 15 Dittos mais abayxo, 2 Dittos amarelos, 2 Dittos brancos, 14 Cafeteyras brancas iguais, 5 Dittas «com as tampas lavradas, 1 Ditta verde, Ditta branca com layvos escuros, 9 Frascos para xá brancos e redondos, 4 Dittos amarelos, 7 Dittos brancos com algum lavor, 3 Dittos mais mas sem tampa, 12 Assucareyros, lavrados e brancos, 10 Dittos lizos brancos, 2 Cafeteyras brancas, Ditta cor de Porfiido, 17 Jarras para Leyte, brancas, 7 Dittas de varias cores, 9 Tigelas sem tampas, nem pratos, 3 Pratos deziguaes, 7 Mostardeyras, 4 Dittas lavradas, ■ Ditta verde e branca, 60 Xicaras de azas brancas, 84 Pires de refugo, 33 Xicaras mais e diferentes tão bem de refugo.

Muito admira, que o já falecido pintor e crítico de arte, José Queiroz, no seu livro A Cerâmica Portuguesa, obra de grande merecimento, não fizesse referência a esta fábrica, que, pelo apontamento transcrito, se vê que a louça fabricada era de grande relêvo e com finas pinturas. Aqui fica o início para aqueles que queiram continuar o estudo da cerâmica, e tenham mais sorte do que eu, encontrando ainda algum exemplar.

CAPÍTULO XVI

CONSTRUÇÃO DA CAPELA E ORATÓRIOS
NO PALÁCIO DE QUELUZ

A capela principal do Palácio

A capela principal do Palácio fica do lado oposto aos jardins, com porta para o Terreiro do Paço.

Antes da fundação desta Capela existia no Palácio uma Ermida, que ficava onde hoje está a Sala das Talhas, no tempo do Infante D. Francisco.

Quando o Infante D. Pedro iniciou as grandes obras do Palácio, o seu primeiro cuidado foi mandar construir a Capela que substituíu a velha Ermida (1). No ano de 1752 já tinha culto, e aí os poucos habitantes da povoação iam ouvir missa, que era rezada pelo padre Manuel

(1) No ano de 1780, segundo documentos existentes na Tôrre do Tombo, casa do Infantado, na conta 23 de 1780, Manuel da Costa Rosado colocou azulejos na Ermida antiga e, na conta 25 do mesmo ano, encontra-se o seguinte recibo:

«Recebi da mão do Sr. Agostinho Jozé a quantia de vinte e quatro mil reis por conta do azulejo q fiz p.a a caza da Ermida

velha.

Lisboa 18 de Novembro de 1780. Manoel da Costa Rozado e no recibo 26 diz que foram 4000 os azulejos para renovar a Er

mida.

da Rosa Moreira de Barbuda, residente na freguesia de S. Pedro de Barcarena.

A actual Capela é muito rica, principalmente de obra de talha, primoroso trabalho de Silvestre de Faria Lobo. Mais tarde, António Angelo também fez vários trabalhos do mesmo género.

Comporta o Altar-Mór, e, no Corpo da Capela, outros dois altares com grandes ornatos. O Altar-Mór tem grande valor artístico, com belo retábulo formado de pilares de talha sobreposta. Paredes, tectos, portas e cimalhas são um conjunto de primoroso trabalho de ornato em variadíssimas formas, festões de flores, cabeças de anjos, fôlhas entrelaçadas, molduras, florões, resplendores e mil variedades que o grande mestre entalhador Faria Lobo imaginou, dando à pequena Capela um cunho de arte e esplendor. Na Capela-Mór, duas pequenas portas com ornatos, comunicam com a sacristia, e, no lado esquerdo, está o côro donde a família real assistia à missa e festas religiosas. Hoje, no mesmo côro vèem-se inúmeros quadros, relíquias e um pequenino altar; há duas portas que ligam com a sala do Lanternim e interior do Palácio, onde se armava a tribuna para o Eminentissimo Cardial Patriarca quando assistia às grandes funções.

No corpo da Capela há quatro portas, duas que dão para a rua, e as duas restantes para o interior do Paço. Sôbre estas existia o côro para as Damas e Açafatas, formado por gradeados.

O côro principal é constituído por balaüstrada que corre a tôda a largura da Capela, assente sôbre quatro colunas, tudo primorosamente trabalhado, com lindos ornatos de talha dourada e imitações de várias pedras verdes e brancas.

A André Gonçalves se deve o painel de Nossa Senhora

da Conceição que está na Capela-Mór, bem como os painéis dos altares laterais, que representam as Imagens de S. Francisco de Paula e a prisão de S. Pedro e S. Paulo, tudo de belo efeito.

No Altar-Mór existem quatro pinturas emmolduradas de talha dourada representando as Imagens do Salvador do Mundo, Coração do mesmo Senhor, S. José e Santo António, pintados pelas filhas de El Rei D. José, a Princesa do Brasil e as Infantas D. Mariana Josefa, D. Maria Francisca Dorotea e D. Maria Francisca Benedita.

Os tectos foram pintados por José Gonçalves Soares, que também se encarregou de tôda a douradura da Capela.

O chão, hoje sobradado, é todo de mármore azul e branco.

Segundo o Inventário do ano de 1762 a Capela e oratórios continham as seguintes preciosidades:

Duas imagens, pintura, de Nossa Senhora da Conceição, uma que está na capela-mór desta Ermida, outra no oratório particular do Paço Antigo.

1 Imagem de Nossa Senhora da Soledade de vulto, vestida, e muito bem feita, sem culto.

1 Dita de Nossa Senhora do Carmo de vulto, vestida tão bem.

I Dita do Salvador do Mundo de pintura em hum pique no retábulo redondo na Capella-Mór ao pé da Cimalha. Coração do mesmo Senhor em outro retábulo que fica da parte do poente.

1 Imagem de S. Joseph de huma parte e da outra. I Ditta de St. Antonio, tudo em pintura, e molduras como as mais.

1 Paynel no Altar Lateral do nascente de S. Francisco de Paula.

1 Imagem de Vulto no mesmo Altar piquena de St. Bárbara.

1 Paynel do outro Altar que lhe comresponde que reprezenta a prizão de S. Pedro e S. Paulo.

Prata

1 Caliz á Romana de pé alto dourado.

I Patena dourada.

1 Apices tão bem dourado com sua caixa de marroquim e veo de Damasco de ouro.

1 Tribollo em branco.

I Navetta.

1 Caixa redonda com tampa para osteas.

1 Par de galhetas com seu prato.

1 Banqueta rica de 6 castisaes á Roma e St. Crosofixo. I Colher de navetta.

1 Estante com 4 Pez redondos e 4 repartimentos de grade, com as Armas de Cascaes.

I Caliz mais de prata.

I Patena, que entrou em 1766.

6 Castisaes mais de prata para os Altares Lateraes.

Ornamentos ricos

1 Frontal de Tisso de Ouro, prata e matizes, comrespondente aos coatro tempos do anno, do Altar-Mór.

I Cazula comrespondente do mesmo com todos os seus pertences.

1 Almofada com suas borlas da mesma ceda.

I Veo bordado como asima.

1 Veo de hombros tesido com ouro e ceda à semelhança de graça.

« PrécédentContinuer »