Images de page
PDF
ePub

BIBLIOGRAPHIA MUSICAL

ADVERTENCIA

Julgamos dever preceder esta ultima parte da nossa obra, de uma explicação relativa ao systema porque a redigimos, explicação tanto mais necessaria que versa sobre um assumpto completamente ignorado.

Destruidas as bases tão grandiosamente lançadas por D. João IV na sua preciosa Bibliotheca Musical, destruidos na maxima parte, os productos essenciaes do nosso desenvolvimento artistico, lançados emfim com a secularisação das ordens religiosas, para os quatro ventos, os ultimos restos da nossa vida artistica, restam-nos hoje apenas algumas fracas centelhas, umas pequenas e escassas reliquias do passado, manifestações indirectas de uma Arte outr'ora grande e explendida.

É pelas obras theoricas principalmente, e ajudados por alguns outros restos que um passado avaro nos deixou, que temos de construir hoje a Historia da Musica em Portugal; é por um meio indirecto, que temos de apreciar a nossa vida artistica desde a sua origem até hoje, procurando avaliar d'esta sorte, a parte que os differentes individuos tomaram no seu desenvolvimento.

Este meio, isto é, estas obras, adquiriram pois, pela força das circumstancias um valor extraordinario. Não é pois perdido, o tempo que consagrarmos a um estudo sério sobre este assumpto, estudo de resuscitação a que nos obriga egualmente, o amor

da Arte, o amor da patria e sobretudo a justiça, em favor dos nossos grandes artistas.

Dividimos a Bibliographia musical em tres partes, a saber:

I-OBRAS THEORICAS.

II-OBRAS PRACTICAS.

III-OBRAS DE DISCIPLINA ARTISTICO-ECCLESIASTICA.

Esta divisão parece-nos a mais propria por em quanto; corresponde exactamente ás tres grandes generalidades da Historia da Arte: productos objectivos, subjectivos e condicionaes.

Uma divisão mais especifica só um estudo posterior, mais aturado e mais profundo, a poderá realisar.

Na primeira parte incluimos tudo o que tem relação proxima ou remota com a Theoria, Historia, Critica, Philosophia e Archeologia da Arte, ainda mesmo que essa relação exista em obras que não sejam de Musica.

Na segunda, referimos as composições raras, taes como as collecções de Missas, Passionarios, Magnificats, Motetes, etc., impressas nos seculos XVI e XVII; não repetimos a immensa quantidade de composições manuscriptas que estavam guardadas na Bibliotheca de D. João IV, para evitar pleonasmos; o leitor curioso poderá vêr tudo minuciosamente no corpo da obra.

Emfim, na terceira parte: da disciplina artistico-ecclesiastica, vem os Processionarios, os Manuaes do Côro, de Defunctos, Directorios ecclesiasticos e Cerimoniaes de diversas especies.

Na primeira e ultima d'estas secções, contaremos as obras manuscriptas e impressas, porque as primeiras não eram ás vezes menos importantes do que as segundas; não fazemos o mesmo na Parte II, pelo motivo já exposto. Cada uma terá nume

ração isolada, sendo as obras impressas, marcadas com algarismos (sic.: 1, 2, 3, etc.) e as manuscriptas com lettras romanas; (I, II, III) as obras que não se sabe em qual d'estes dous casos ficaram, levam um ponto de interrogação (?); emfim, a prioridade da collocação das obras theoricas sobre as practicas e d'estas sobre as de disciplina artistico-ecclesiastica, justifica-se pela differente importancia das tres partes.

Congratulamo-nos por poder rectificar n'estas ultimas paginas os erros typographicos; os outros, resultado de algum descuido nosso e emfim, os que a inexactidão e impureza das fontes onde muita vez bebemos, nos obrigou mau grado nosso, a commetter; estes erros referem-se na maxima parte, aos titulos das obras, ás datas de impressão, á paginação, ás differentes edições, ao formato das obras, etc. etc.; todos elles foram emendados por exemplares que possuimos.

A correcção fez-se em tudo com o maior escrupulo e cuidado, todavia lembramos ao leitor que em alguns casos não podémos reproduzir com a desejada exactidão os titulos originaes, por falta de caracteres proprios, (e, a, u, til, etc.) assim nas obras de Aranda, D. João IV, e outros; porém nos logares competentes repetimos esta advertencia para cuidado dos bibliophilos.

Daremos tambem n'esta occasião noticia de obras que conhecemos tarde de mais para podermos fallar d'ellas nas respectivas biographias.

Comtudo apesar dos nossos esforços, ainda ficaram muitas duvidas por resolver; esperamos com o tempo e um constante trabalho, poder ainda elucidal-as e realisar ámanhã o que hoje se nos afigura impossivel.

Se pouco ajudados fomos na nossa ardua tarefa, mostrouse-nos a fortuna por outro lado mais favoravel, proporcionando-nos

« PrécédentContinuer »